28/02/2018 | Eleições 2018

Conheça 4 campanhas políticas de sucesso e aprenda com elas


Por Essent Jus
Assessoria de Comunicação
Tempo de leitura: 3 minutos

As eleições de 2018 estão se aproximando. Nesse sentido, quem deseja alcançar a vitória no pleito deve correr e começar a trabalhar com o máximo de antecedência possível. Pelo menos é isso que fazem as campanhas políticas de sucesso.

Toda vitória não acontece por acaso. Os candidatos que se destacaram ao longo da história começaram a construir suas imagens muito antes da campanha acontecer.

No entanto, isso não quer dizer que você deva sair por aí pedindo voto. Em vez disso, você pode investir em uma presença forte na internet, participar de eventos, visitar as regiões que te elegeram, construir uma base aliada sólida, entre outras estratégias.

Neste post, nós vamos te mostrar 4 campanhas vitoriosas — mesmo que você não goste dos candidatos, o que vale aqui são as ações de marketing utilizadas, certo? — Confira!

  1. "Varre, varre, vassourinha" — Jânio Quadros

Para alcançar a vitória, os candidatos e suas respectivas equipes precisam ser estratégicos e traçar uma campanha voltada para o momento em que o país, estado ou município está vivendo. Mas como fazer isso?

Bom, uma das funções do marketing político é analisar a conjuntura do atual cenário para, então, construir a imagem de um candidato. Assim, é necessário descobrir quais são as demandas e desejos da sociedade naquele momento específico.

Foi exatamente isso que Jânio Quadros fez. Em 1960, quando ele concorreu às eleições presidenciais, a população brasileira estava cansada da corrupção oriunda do governo de Juscelino Kubitschek.

O ex-presidente, então, focou todas as suas estratégias em atacar JK — mesmo que indiretamente. Seu jingle, "varre, varre, vassourinha", de autoria do publicitário Maugeri Neto — brincava com a necessidade do Brasil "varrer" os políticos corruptos. A música descontraída virou um verdadeiro sucesso na época, levando Quadros à vitória.

Depois do jingle do ex-presidente, a vassoura se tornou, inclusive, símbolo anticorrupção. Embora o mandato de Quadros não tenha sido bem-sucedido — ele renunciou ao cargo sete meses depois de ser eleito —, sua campanha é um exemplo de como aproveitar a conjuntura política atual de forma estratégica e favorável.

A seguir, confira um trecho da canção que ficou para a história:

"Varre, varre, varre, varre vassourinha!

Varre, varre a bandalheira!

Que o povo já ‘tá cansado

De sofrer dessa maneira

Jânio Quadros é a esperança desse povo abandonado!"

  1. Caçador de Marajás — Fernando Collor de Mello

Embora tenha sofrido um impeachment em 1992, Fernando Collor de Mello foi um dos candidatos que mais soube explorar o marketing ao seu favor. Quando concorreu as eleições de 1989, sua estratégia foi um pouco parecida com a de Jânio Quadros.

O slogan que ficou para a história — “caçador de marajás” — fazia referência aos políticos e outros servidores que recebiam altos salários. O objetivo do então candidato era acabar com esse cenário.

Além de ter investido em um bom bordão, Collor soube trabalhar muito bem a sua imagem. Antes mesmo da campanha, o jovem ex-presidente focava as suas estratégias em transparecer ser uma pessoa honesta, simpática e preocupada com o futuro do país.

Ele também investiu em algumas ações inéditas para época. Sua equipe introduziu, por exemplo, uma linha telefônica na qual os eleitores podiam entrar em contato diretamente com os colaboradores da campanha  — eles ganhavam, inclusive, um kit de adesivos pelos correios, além de brindes tradicionais do período, como chaveiros e camisetas.

Collor também foi um dos primeiros a explorarem o rádio de forma eficiente — canal de comunicação extremamente importante para a época. Por meio dele, o ex-presidente conseguia alcançar todo o tipo de público, desde os analfabetos até os empresários.

  1. A esperança vai vencer o medo — Luiz Inácio Lula da Silva

As eleições de 2002 — que deram vitória a Lula — inauguraram uma era inédita na política brasileira: pela primeira vez, um operário se tornou o presidente da república.

Na época, os brasileiros estavam extremamente insatisfeitos com o governo de Fernando Henrique Cardoso. Além da intensa desvalorização do real, que ocorreu nos primeiros dias do seu segundo mandato, houve um apagão elétrico, em 2001. Além disso, a inflação subia, o desemprego aumentava e o crescimento do Brasil caía.

Diante desse cenário desanimador, Lula resolveu dialogar com classes sociais distintas: a dos empresários e a dos menos favorecidos. Assim, suas promessas eram focadas em combater a inflação, manter o câmbio livre, o superávit primário etc. Ao mesmo tempo, o ex-presidente utilizava um discurso emocional, que garantia a construção de um país mais solidário e igualitário, gerando empregos, oportunidades e distribuindo rendas.

O apelo emocional utilizado na campanha de Lula pode ser percebido em uma das peças publicitárias mais famosas da história — "Meu Nome é João", de Duda Mendonça. No vídeo de um minuto, um jovem concede um depoimento forte e emocionado falando sobre o sonho de democratizar o acesso de estudantes de baixa renda às universidades.

  1. Yes, we can (sim, nós podemos) — Barack Obama

A campanha de Barack Obama, que ocorreu em 2008, será sempre lembrada como um marco na política. O candidato explorou o ambiente online como ninguém, conseguindo envolver americanos que nunca tinham votado. Não é à toa que a sua vitória marcou a maior participação eleitoral da história dos Estados Unidos (por lá, o voto não é obrigatório).

Tudo isso só foi possível graças a inúmeras estratégias, sendo que as principais delas ocorreram nas mídias sociais. Uma das ações de sua equipe de marketing foi produzir conteúdos virais cerca de um ano antes da eleição.

Goste ou não dos candidatos, o fato é que as quatro campanhas citadas neste post foram vitoriosas — mais do que isso, elas marcaram a história política dos seus países.

Cabe a você, portanto, utilizar as estratégias que cada uma delas têm a oferecer. Assim, analise a conjuntura atual, construa a sua imagem de forma tática, escolha bem o seu público e dialogue com ele, utilize o recurso emocional quando for pertinente e esteja presente nos principais canais de comunicação — principalmente nas redes sociais.

Agora que você já conhece algumas campanhas políticas de sucesso, amplie os seus conhecimentos e saiba como fazer um santinho político campeão!


Post escrito em parceria com o SGP - Suíte de Gerenciamento Político. 

[E-BOOK] Tudo que você precisa saber sobre as alterações propostas pela Reforma Política

Baixe agora mesmo o e-book
COMPARTILHE:
MATÉRIAS RELACIONADAS
28/09/2017 | Prestação de Contas

Série #EssentJus: 5 lições do case Obama para ter uma campanha de sucesso!

Seguidores nas redes sociais, site com versão mobile, uma banco de dados eficaz, incentivo à doação virtual: uma comunicação contínua e transparente. As campanhas presidenciais de Barack Obama nos anos...
07/10/2017 | Contabilidade

Série #EssentJus: mais três lições de sucesso do case Obama

E seguimos na #SérieEssentJus sobre os cases de sucesso de Barack Obama. :D No último blog post, falamos das estratégias relacionadas ao site, layout, incentivo a doações virtuais e o uso do e-mail marketing para e...
31/10/2017 | Eleições 2018

Eleições 2018: candidatos poderão impulsionar conteúdos na internet (até que enfim!!!)

As #Eleições2018 prometem muita movimentação nas redes! Por quê? Porque com as alterações propostas pela reforma política, aprovadas pelo Congresso Nacional e sancionadas pelo presidente da Rep&u...
03/11/2017 | Eleições 2018

Eleições 2018: entenda como funcionará o novo fundo para financiamento de campanhas

Estimado em R$ 1,7 bilhão, o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente da República, e que já valerá para as Eleições2018, será c...